quarta-feira, 16 de maio de 2012

ESPECIARIAS , OURO DAS ÍNDIAS POST

ESPECIARIAS ,  “OURO

DAS ÍNDIAS”



O termo especiaria ou espécie (do latim species) , a partir dos séculos XIV e XV na Europa , designou diversos produtos de origem vegetal  de aroma ou sabor acentuados pela  presença  de óleos essenciais , nativos da Ásia .

Além de utilizadas na culinária, com fins de tempero e de conservação de alimentos, as especiarias são empregadas em farmácia, na preparação de óleos, unguentos,e outros  medicamentos .  

Além disso,as especiarias têm propriedades medicinais e antimicrobianas, importantes para a conservação dos alimentos, principalmente em uma época em que não havia geladeira e frigoríficos .

As especiarias por sua grande durabilidade, resistência a mofos e pragas nos longos tempos de estocagem, tornara possível e próspero seu comércio: suportavam por meses e até anos as travessias por mar ou terra sem perder as qualidades aromáticas e medicinais.

As especiarias foram sempre, consideradas oOuro das Índias,  produtos caros e difíceis de obter, pelos quais se esperavam na Europa ,  caravanas e mercadores  vindos do Oriente.

As principais  especiarias são: pimenta-do- reino , gengibre, cravo, canela, noz- moscada, açafrão, cardamomo e ervas aromáticas.

Como as especiarias eram muito caras na época da Idade Média,  só quem as poderia ter eram os ricos e nobres, e isso significava “ status” .  Elas eram usadas até mesmo como moeda e constituíam dotes, heranças, reservas de capital e divisas de um reino. Pagavam serviços, impostos, dívidas, acordos e obrigações religiosas . Também era costume presentear (ou subornar) os magistrados com especiarias .

Após o retorno de Vasco da Gama do Oriente, seus preços se tornaram  mais acessíveis. Nessa época, os árabes se sentiram prejudicados com a entrada dos portugueses no comércio das especiarias  e  enviaram mensagens ao Papa dizendo que iriam impor o islamismo aos cristãos que encontrassem e, além disso, solicitaram a proibição das viagens dos portugueses ao Oriente .

Em 29 de maio de 1453, a tomada de Constantinopla pelos otomanos dificultou ainda mais o acesso a esses produtos, pois suas  rotas passaram ao controle turco, ficando, assim, bloqueadas as atividades dos mercadores cristãos.


Este virtual  monopólio das especiarias africanas e, sobretudo, das asiáticas, rendia à coroa portuguesa por volta de 89% de lucro líquido, o que justificava o esforço de Portugal com as despesas com este comércio marítimo asiático no século XVI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário